DOR E COMOÇÃO MARCAM VELÓRIO DE CRIANÇAS BRUTALMENTE ASSASSINADAS EM BACABEIRA

“Eu quero meu filho, eu quero meu filho”
Familiares e amigos aguardavam, sob forte comoção, a
chegada dos corpos das duas crianças assassinadas no município de Bacabeira. Segurada
por parentes e amigos a avó de um dos garotos gritava desesperadamente, “Eu
quero meu neto”.
O momento da chegada dos carros da funerária, foi um
dos mais doloridos para quem presenciava a triste cena. Num clima de dor e
muita tristeza varias pessoas passaram mal, outras até desmaiavam.
O pai de uma delas, debruçado sob o caixão e sentido
talvez, o ultimo estágio da dor humana, esbravejava, “Eu quero meu filho”.
Diante daquela dolorosa angustia, muitos ali presenciavam um acontecimento nada
comum, já que o natural da vida é que os filhos enterrem seus pais.

As crianças, moradoras da Estiva, bairro da zona rural
de São Luís, saíram na manhã de terça-feira e nunca mais voltaram. Erisvan da
Silva Costa, de 12 anos e Roberto da Luz dos Santos, de 11 anos, foram enterradas
na tarde do ultimo sábado, como parte final de um caso que chocou e assustou a
população de Bacabeira, da Vila Samara e de todo Maranhão.

Deixe uma resposta