FLÁVIO DINO DIZ ESTÁ OTIMISTA COM SIDERÚRGICA EM BACABEIRA E FRISA PARTICIPAÇÃO DE FERNANDA GONÇALO

“Esperando que as coisas de fato se concretizem para a
gente poder fazer a festa. A gente não pode fazer a festa antes da hora porque
o povo de Bacabeira merece respeito”
O governador Flávio Dino participou do programa ‘Na
Hora’, da FM 92,3, na tarde desta quinta-feira (21) e respondeu a uma série de
perguntas de jornalistas e da população maranhense. Uma delas foi feita pelo blogueiro
Daniel Mendes, correspondente do programa na Região do Munin e Lençóis, em
relação ao interesse do Governo do Estado em instalar, dois grandes
empreendimentos em Bacabeira com empresas internacionais.
Flávio Dino classificou a não concretização do
empreendimento como “um enorme débito que o passado tem com as cidades de
Bacabeira e Rosário”, porque foram muitas promessas frustradas e com danos
gravíssimos, econômicos, morais e psicológicos às pessoas. De acordo com ele,
“nós estamos evitando esse erro”, adotando uma postura de discrição, cautela:
“Eu só anuncio as coisas quando elas são concretas”.
O Governo do Estado está, desde 2015, lutando para
repor o prejuízo que foi causado por projetos fracassados do passado. Segundo o
governador, uma das iniciativas que está mais avançada visa a instalação de uma
empresa siderúrgica em Bacabeira. “Nós temos feito inúmeras tratativas,
lideradas pelo vice-governador Carlos Brandão, viagens, visitas e caravanas à
China, para reunião com os investidores, aqui mesmo no nosso estado eu já tive
reuniões com a Vale, que é uma empresa que pode participar desse projeto
também, e nós estamos confiantes”, explicou Flávio Dino.
O governador também destacou a participação da
Prefeita de Bacabeira, Fernanda Gonçalo, que esteve inclusive muito
recentemente com o vice-governador Carlos Brandão na China, para assinatura de
documentos entre o governo brasileiro e o governo chinês, “para que esta
empresa, chamada CBSteel, tenha o apoio governamental chinês necessário para
que se implante”.
“Então, nós estamos nesta fase. Confiantes, otimistas,
mas esperando que as coisas de fato se concretizem para a gente poder fazer a
festa. A gente não pode fazer a festa antes da hora porque o povo de Bacabeira
merece respeito. E eu não vou cometer a mesma artimanha que foi usada no
passado de anunciar uma coisa que depois não dá certo. Mas estou otimista e
animado. Se Deus quiser vai dar tudo certo”, completou Flávio Dino.

Deixe uma resposta