ADMINISTRAÇÃO DE HILTON GONÇALO TAMBÉM É ATACADA POR FAKE NEWS

Tem sido quase que rotineiramente a propagação de Fake News contra a administração do prefeito de Santa Rita, Hilton Gonçalo. O uso da artimanha tem se tornado comum na internet e visa atingir reputação de pessoas, governos ou instituições.

Geralmente quem recorre a esse tipo de expediente são adversários políticos, desprovidos de apoio popular e pessoas que acreditam piamente que “uma mentira repetida varias vezes se torna verdade”.

Quem divulga ou compartilha Fake News comete crime. A legislação estabelece que qualquer pessoa que se sentir ofendida pode recorrer a Justiça Criminal por calunia, injuria ou difamação. A pena para esse tipo de crime varia de 3 meses a 3 anos de prisão e o pagamento de indenização.

Há pouco tempo, a Polícia Federal realizou, a primeira operação de combate a notícias falsas no Espírito Santo. Houve busca e apreensão de documentos e equipamentos eletrônicos, que agora serão investigados. A ação foi batizada de “Voto Livre”. Veja em https://oglobo.globo.com/brasil/pf-faz-primeira-operacao-de-combate-fake-news-relacionada-as-eleicoes-22488623

SANTA RITA

Em Santa Rita, um perfil na internet, alinhado aos interesses da oposição, tem exaustivamente divulgado as falsas informações, com o objetivo cristalino de denegrir a imagem do gestor, que segundo a ultima pesquisa realizada na cidade possui mais 80% de aprovação popular.

Recentemente tentou-se atribuir ao atual prefeito, o abandono de uma obra inaugurada por ele em 2012, ultimo ano de seu governo, ao invés de responsabilizar o ex-gestor da cidade, que ao receber o prédio não deu a devida utilidade durante os quatro anos em que administrou o município.

Trata-se do prédio feito com o objetivo de abrigar a Rodoviária de Santa Rita. Na imagem abaixo, veja que o prédio foi entregue em devidas condições de uso. Por tanto, é falso imputar a inutilidade da edificação a quem deixou o governo logo após a sua inauguração.

É importante lembrar, que por recomendação do DNIT, a utilização adequada do prédio está provisoriamente inviabilizada pelas obras de duplicação do segundo lote da BR – 135.

Deixe uma resposta